Se você está interessado em baixar algum álbum postado a partir de 2015, entre em contato por e-mail: prolasdorock@yahoo.com ou deixe seu contato nos comentários (este não será visível publicamente), e o link será enviado o mais breve possível!


Mais informações aqui: http://goo.gl/ra9cdp


-------------


If you are interested in downloading any posted album from 2015, contact by email: prolasdorock@yahoo.com or let your email in comments (this will not be visible publicly) and the link will be sent as soon as possible!


More info here: http://goo.gl/ra9cdp

sábado, 22 de abril de 2017

ACID FOLK - PREFIX - Brustna Illusioner - 1974


Artista / Banda: Prefix
Álbum: Brustna Illusioner
Ano: 1974
Gênero: Acid Folk 
 País: Suécia

Comentário: Um dos discos mais raros já vindos da Escandinávia, este é o único trabalho lançado por esse trio de história desconhecida, com apenas 100 cópias e até hoje nunca relançado! Dividido em 13 curtas faixas, cantadas em inglês e sueco, mescla baladas folk acústicas e viajantes à la anos 60 e passagens ácidas e de peso na guitarra fuzz (como em "Good Old Woman", "Duke Of War" e "Samhällstillvänd"). A produção é bastante amadora e sem requintes.
Uma das grandes raridades já trazidas pelo blog, vale a audição principalmente para fãs de folk psicodélico.

Here's the rarest Swedish 70s underground LP!!! Record in 1973 to 1974 and pressed in less than 100 copies in 1974. Not even the big wig Swedish collectors have it and it's an amazing record. Totally homemade underground private press that sort of reminds me of some UK Holyground LPs like Astral Navigations and A to Austr. with everything from heavy acid underground fuzz sounds to beautiful Beatleesque piano based ballads, with slight, understated but deep psych effects,...but done underground in Sweden by definitive acid casualties. More than half of the songs are sung in English.
Text: PopSike

Músicos:
Ingrid Blom
Åke Eriksson
Pierre Blom

Faixas:
01 Alla Noter Är Ledsna 6:43
02 Doris With The Eye 3:02
03 Min Kära 2:15
04 The Bobby Medger's Tune 2:10
05 Mellanöl 1:40
06 Happy New Year 4:07
07 Good Old Woman 2:04
08 Ett Ord Som Finns Mening Till 3:30
09 Duke Of War 3:13
10 Jag Målar En Tavla 1:53
11 Samhällstillvänd 2:43
12 Son Of A Woman 3:56
13 Stupid Record Company 2:14

sábado, 15 de abril de 2017

EXPERIMENTAL / AVANT-PROG - BOB BELL - Necropolis - 1978


Artista / Banda: Bob Bell
Álbum: Necropolis
Ano: 1978
Gênero: Experimental / Avant-Prog / Free Jazz
 País: Canadá

Comentário: Músico e compositor de Vancouver que lançou dois álbuns, este que posto aqui, de forma privada em 1978, e outro mais recente, em 2006. Pouco mais se sabe sobre sua história. O disco, gravado ao vivo em estúdio, é composto de 5 faixas totalmente instrumentais e experimentais. 
As 4 primeiras, que preenchem o lado A, trazem o trio bateria, baixo e guitarra, com destaque para a fúria e distorções da última em diversos momentos, passando por psicodelia e jam/ noise rock. Já a suíte que fecha o LP apresenta piano, saxofone e percussão, em passagens abstratas e caóticas que flutuam entre avant-prog e free jazz, apesar de difícil rotulação.
Para fãs de avant-prog e experimentalismo essa é uma interessante pedida, recomendado.

This one's pretty damn strange/unique. I'll have to break it down a side at a time.
Side A is four unnamed pieces featuring a guitar/bass/drum lineup doing entirely instrumental, noisy mathy jazzy skronk rock. Sounds a bit like a mishmash of Discipline-era KC, Melt Banana (minus the vocals), Minutemen and DNA. It's quite good, and VERY ahead of its time, and it'd be worth the price of admission...
...until the side-long title track hits you. This one's got a lineup of drums/piano/saxophone, and it's full-blown free improv. Chaotic, aimless free improv. It has nothing to do with the rest of the album. Not musically, not aesthetically, not sonically.

Músicos:
Bob Bell (guitarra, saxofone)
Paul Plimley (piano)
Lyle Ellis (baixo)
Mark Franklin (baixo)
Paul Franklin (percussão)

Faixas:
01 Necropolis 1 4:30
02 Necropolis 2 4:32 
03 Necropolis 3 5:28
04 Necropolis 4 5:14
05 Necropolis 5 15:08

quinta-feira, 6 de abril de 2017

PROGRESSIVE FOLK - ILPO SAASTAMOINEN - Joutsenen Juju - 1976


Artista / Banda: Ilpo Saastamoinen
Álbum: Joutsenen Juju
Ano: 1976
Gênero: Progressive Folk
País: Finlândia

Comentário: Multi-instrumentista e compositor nascido em Pielavesi, 1942. Participou de grupos locais como Pohjantahti e Piirpauke, lançando um único e raro disco solo pela Love. Nesta obra ouvimos 8 faixas, intercaladas entre curtas e longas, contando com presença de diversos músicos locais, mesclando rock progressivo e folk nórdico, usualmente comparado a bandas conterrâneas como Samla Mammas Manna e Haikara. Praticamente todo instrumental, ouvimos uma grande variedade de arranjos e solos, geralmente presentes em viajantes jams.
Um belo exemplo de como a música progressiva pode ser diversificada e rica, recomendado! 

Multi-instrumentalist and composer born in Pielavesi, 1942. Participated in local groups such as Pohjantahti and Piirpauke, releasing only a rare solo album by Love. In this work we hear 8 tracks, interspersed between short and long, with the presence of several local musicians, mixing progressive rock and Nordic folk, usually compared to bands like Samla Mammas Manna and Haikara. Practically all instrumental, we hear a great variety of arrangements and solos, generally present in trippy jams.


Músicos:
Ilpo Saastamoinen (guitarra, violão, baixo, zither, yangqin, vocal)
Pekka Sarmanto (baixo)
Edward Vesala (bateria, percussão)
Kari Hynninen (baixo)
Juhani Aaltonen (saxofone)
Timothy Ferchen (vibrafone, marimba)
Jordan Koschuharov (violino)

Faixas:
01 Joutsenen Juju 9:41
02 Sinä - Oksa 6:38
03 Olosuhteiden Kaikuja 6:35
04 Kiljanderin Polska 4:13
05 Air 4:30
06 Ihmisten Ja Lintujen Iltapäivä 2:58
07 Huuhkajan Lemmikki 7:27
08 Saunapiian Polkka 2:09

terça-feira, 4 de abril de 2017

PSYCHEDELIC/ FUNK ROCK - KALIKA - Same - 1973


Artista / Banda: Kalika
Álbum: Kalika
Ano: 1973
Gênero: Psychedelic / Funk Rock
 País: Bélgica

Comentário: Obscuridade belga, cuja história é pouco conhecida, lançou apenas um raro LP de 500 cópias e outros 2 singles, todos pelo pequeno selo VOOOM. O disco é dividido em 12 curtas faixas, que mesclam rock psicodélico e funk, onde destaca-se o instrumental, que conta com passagens competentes de flauta, órgão, guitarra e percussão em praticamente todas as músicas. O vocal não é tão bom, soando repetitivo em alguns momentos, sendo as letras em inglês (maioria) e também francês. Mesmo assim no geral, uma obra que possui suas qualidades e merece uma audição por fãs dos estilos citados.

Belgian obscurity, whose history is little known, released only a rare LP and 2 other singles, all by the small label VOOOM, but without success. The album is divided into 12 short tracks, that mix psychedelic and funk rock, where the instrumental is highlighted, which counts with competent passages of flute, organ, guitar and percussion in practically all the songs. The vocals are not so good, sounding repetitive at times, being the lyrics in English (majority) and also French. Even so, in general, a work that has its qualities and deserves a hearing by fans of the styles mentioned.


Músicos:
Ahmed Bachaoui (baixo)
Ignazio Liberto (bateria)
Carmelo Ditavi (flauta, vocal)
Casimir Saliamorius (guitarra, vocal)
Alberto Azori, Alberto Azori (órgão)
Lucien Christofani (percussão)
Lucien Christofani (vocal)

Faixas:
01 Because I Think 2:45
02 Mister Girl 2:45
03 Ne Boude Pas 3:00
04 Baby Come 2:30
05 I'm Cryin' 3:12
06 Mina 3:00
07 Hurricane 3:03
08 Un Jour Je Partirai 3:10
09 Come Back To Me 2:51
10 Pars, C'est Fini 3:00
11 Kalika 3:10
12 Quand Reviendra L'été 3:33


domingo, 26 de março de 2017

PSYCH FOLK - SUNADOKEI / YATSUHIRO KOYAMA - 火の鳥 Vol. 1 - 1973


Artista/ Banda: Sunadokei / Yatsuhiro Koyama
Álbum: 火の鳥 Vol. 1
Ano: 1973
Gênero: Psych Folk
País: Japão

Comentário: Obscuridade japonesa cujas informações são praticamente inexistentes. Esse foi possivelmente um projeto de estúdio (incluindo ex-membros do Suns of Sun) que resultou em um único e raríssimo LP de edição única. A obra é dividida em 10 faixas, maioria curtas e que mesclam psicodelia e folk, na maioria do tempo tranquilo e acústico, apesar de algumas experimentações nos teclados, que merecem destaque. As letras são todas em japonês. 

Japanese obscurity whose information is practically nonexistent. This was possibly a studio project (including former members of the Suns of Sun) that resulted in a unique and rare single-issue LP. The work is divided into 10 tracks, mostly short and mixing psychedelia and folk, in most of the quiet and acoustic time, despite some experiments on the keyboards, which deserve to be highlighted. The lyrics are all in Japanese.

Músicos:
小山恭弘 (Yatsuhiro Koyama) (piano, sintetizador, back vocal)
松木恒秀 (Tsunehide Matsuki) (guitarra, violão)
岡沢章 (Akira Okazawa) (baixo)
穂口雄右 (Yosuki Hoguchi) (órgão)
田中清司 (Kiyoshi Tanaka) (bateria, percussão)
坂元昭二 (Shoji Sakamoto) (violão vocal)
うすいよしのり(Yoshinori Yasuri) (vocal)
應魚 (Mao) (vocal)
Amadeus Gurlit (vocal)

Faixas:
01 火の鳥 3:13
02 鈴にさそわれて 2:55
03 地に伏せる 7:13
04 Episode I 3:04
05 笛を吹いたら 3:51
06 愛らしきもの 4:07
07 永劫回リ帯 5:44
08 限りなき時の流れに 4:21
09 金ぴかぴんの仏様 5:52
10 Episode II 1:44

quarta-feira, 1 de março de 2017

AFRO JAZZ - PAT MATSHIKIZA & KIPPIE MOKETSI - Tshona! - 1975


Artista / Banda: Pat Matshikiza & Kippie Moketsi
Álbum: Tshona!

Ano: 1975
Gênero: Afro / Soul / Cape Jazz
 País: África do Sul

Comentário: Parceria feita entre duas grandes figuras do jazz sul-africano, além de colaborações de peso, e que resultou em um único trabalho, infelizmente pouco lembrado. O LP é dividido em 4 faixas totalmente instrumentais, totalizando cerca de meia hora, porém apresentando um som de alta qualidade. Beira o soul/ afro jazz, avant-garde e também Cape Jazz (devido a sua localização), com muitas improvisações e duas longas jams, onde destacam-se passagens flutuantes de saxofone e piano, além de trabalho rítmico consistente.
Belíssimo exemplo de quão rico a música e o jazz africano pode ser, recomendado!


A project between two great figures of South African jazz, in addition to others collaborations, which resulted in a single work, unfortunately little remembered. The LP is divided into 4 fully instrumental tracks, totaling about half an hour, yet featuring a high quality sound. Passing through soul / afro jazz, avant-garde and also Cape Jazz (due to its location), with many improvisations and two long jams, highlight to floating passages of saxophone and piano, in addition to consistent rhythmic work.
Beautiful example of how rich African music and jazz can be, recommended!

Músicos:
Pat Matshikiza (piano)
Kippie Moketsi (alto saxofone)
Basil ‘Mannenberg’ Coetzee (tenor saxofone)
Sipho Mabuse (bateria)
Alec Khaoli (baixo)
+
Dennis Phillips (alto saxofone)

Faixas:
01 Tshona! 11:39
02 Stop And Start 5:06
03 Umgababa 11:11
04 Kippie's Prayer 3:34


terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

ROCK - SONG GOL MOE (송골매) - 송골매 신곡모음 Vol.1 - 1979


Artista: Song Gol Moe (송골매)
Álbum: 송골매 신곡모음 Vol.1
Ano: 1979
Gênero: Hard / Classic Rock
País: Coreia do Sul

Comentário: Formada após o fim da banda Run Way, por três ex-membros por volta de 1979, o grupo Song Gol Moe (em português 'Os Falcões') lançou vários discos na década seguinte, alcançando sucesso local até se desfazer em 1991. Posto aqui o debut, dividido em 10 faixas que se assemelham ao trabalho apresentado em "Whal Ju Loh", curtas, diretas e com certa abordagem comercial, apesar de manter-se fiel ao rock clássico setentista, momentos de hard e também prog melódico são ouvidos. As letras são todas em coreano, acompanhadas pela guitarra e vários coros.
Nada de essencial, porém vale a audição para fãs de rock 'fora do eixo'.

Formed after the end of the band Run Way, by three former members around 1979, the group Song Gol Moe ('The Falcons') released several records in the following decade, achieving local success until disbanding in 1991. Post here their debut, divided in 10 tracks that resemble the work presented in "Whal Ju Loh", short, straight and with a certain commercial approach, in spite of being faithful to classic rock, with moments of hard and also melodic prog. The lyrics are all in Korean, accompanied by the guitar and several choirs.


Músicos:
배철수 [Bae Chul-Soo] (vocal, bateria)
지덕엽 [Chi Deok-Yeop] (guitarra)
김종태 [Kim Jong-Tae] (baixo)
Lee Bonhwan (teclados)

Faixas:
01 산꼭대기 올라가 (Go Up Mountaintop)
02 세상 만사 (All Works Of The World)
03 길지않은 시간이었네 | (Was Time That Is Not Much Long)
04 지금 내마음 (Now My Mind)
05 세상 모르고 살았노라 (Do Not Know And Lived The World)
06 오늘 따라 (In Today)
07 아낙네 마음 (Woman's Mind)
08 나그네들의 축제 (Travelers' Festival)
09 친구를 생각하며
10 새마을 노래


domingo, 26 de fevereiro de 2017

HARD ROCK - MADHOUSE - From the East - 1979


Artista: Madhouse
Álbum: From the East
Ano: 1979
Gênero: Hard Rock
País: Romênia

Comentário: Trio formado por ex-membros da lendária banda romena Phoenix em 1978, que buscavam um projeto de maior sucesso comercial. Estabeleceram-se na Alemanha, onde lançaram seu único LP no ano seguinte e se desfazendo em 1980, sem o resultado esperado. O disco é dividido em 10 curtas faixas de hard rock e, como dito, com uma sonoridade mais direta e simples, típica da época. O instrumental é simples, guiado por passagens intensas de guitarra, além de bateria / baixo competentes; o vocal é também rasgado e todo em inglês. A produção infelizmente deixa a desejar.
Apesar de pouco original, ainda é interessante para fãs de hard rock e de música do leste europeu.

Trio formed by former members of the legendary Romanian band Phoenix in 1978, trying to achieve more success in the Western Europe. They settled in Germany, where  their only LP was released and disbanded in 1980, without the expected result. The disc is divided into 10 short tracks of hard rock and, as said, with a more commercial and simple sound, typical of the time. The instrumental is straight, guided by intense passages of electric guitar, besides drums / bass competent; The lyrics are all in English. The production unfortunately disappoints.
Although unoriginal, it's still interesting for fans of hard rock and Eastern European music.



Músicos:
Ovidiu Lipan von Barbier (bateria, percussão)
Josef Kappl Yussuv (baixo, vocal)
Erlend Krauser Goldstein (guitarra, violão, vocal)

Faixas:
01 I Go Crazy 3:51
02 Girl 3:57
03 Madhouse 4:58
04 Running Wild 3:50
05 ...to the West 4:03
06 Goin' Back to the Country 3:01
07 Mr. Pumble 3:15
08 Dwarfs Pillbox 3:50
09 King Lear 5:04
10 Leaving in the Morning 2:02 


PROG FOLK - LA CORAL CÓSMICA - Triptic - 1979


Artista / Banda: La Coral Cósmica
Álbum: Triptic
Ano: 1979
Gênero: Progressive Folk
País: Espanha

Comentário: Grupo formado em 1978 na cidade de Barcelona e que lançou apenas um álbum no ano seguinte, que se mantém na obscuridade. Trata-se de um disco com faixas curtas e mesclando influências de música tradicional espanhola / flamenca e rock progressivo (incluindo presença e produção do tecladista Jordi Vilaprinyó (ex-Coses e Gótic)). O instrumental é destaque, variado com passagens de teclados, violino, flauta, violões e guitarra, proporcionando atmosferas diversificadas, ora viajante, ora na linha mediterrânea / acústica. As letras são todas em espanhol.
Consistente e interessante obra para fãs de progressivo espanhol, recomendado!

This is most probably a lost gem of Spanish music from the 70's. And though not entirely Progressive in its core, it does have its interest for Spanish Prog Rock lovers.
The music is mainly 70's pop with a strong folk flavor and some more complex structures, therefore the Prog connection.
While the vocals are totally dated and almost entirely pop (exceptions are to be found, like in track 5), the instrumentation is crafted and thoughtful, gracing the listener with some very good musical moments.
Unlike bands such as Triana or Mezquita, the folk components here presented are not exclusively based on the South (Seville) gipsy orientations. The interest here is undoubtedly focused on the music underneath the completely naif vocals, but in that department, the album does have its (very good) moments.
Text: Proggnosis

Músicos:
Joan Sanmartí (guitarra)
Toni López (piano)
Jordi Álvarez (baixo)
Joan Antón Mas (bateria)
Liba Villavecchia (saxofone)
Ferrán Solo (violino)
Conxa Armengol (vocal)
Ibi Cana (vocal)
Kim Torras (vocal, guitarra)
Pere Canal (vocal)

Faixas:
01 Alba 2:46
02 El Cami del Cel 3:02
03 Venecia Dijous 19 3:33
04 Rumba Cósmica 5:31
05 Nua 3:19
06 Dins del Teu Cor 5:45
07 Dansa d'Amor Etern 2:54
08 Triptic 2:37
09 Afirmacio 2:07
10 Arbre 3:46
11 Extasis 0:18

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

BLEUS ROCK - DUTCH TILDERS - Same - 1972


Artista / Banda: Dutch Tilders
Álbum: Dutch Tilders  
Ano: 1972
Gênero: Blues Rock / Acoustic Blues
País: Austrália

Comentário: Matthew Tilders, mais conhecido como Dutch Tilders, foi um guitarrista nascido na Holanda, mas ainda jovem mudou-se com a família para Melbourne, onde construiu toda sua carreira na música. É dono de uma longa discografia, além de parceria e tours com grandes nomes do rock, como John Mayall, infelizmente vindo a falecer em 2011.
Este é seu debut, lançado pela Bootleg e que se mantem desconhecido por muitos. Tratam-se de 14 faixas curtas e com dois lados bastante distintos, na parte A são canções inspiradas pelo blues e boogie rock, incluindo versões de Arthur Crudup e Jimmy Reed, acompanhado por membros do grupo local Chain. Enquanto no lado B ouvimos um blues acústico e arrastado, executado todo pelo músico, na presença de sua guitarra e violão, novamente com grandes momentos.
Uma belíssima obra para fãs de blues, seja tradicional ou elétrico. Altamente recomendado!

Tilders’ debut solo album Dutch Tilders proved the man’s mastery of the blues form. One side featured Tilders playing Chicago electric blues with backing provided by members of Chain and the flip was just the man doing down-home Mississippi delta acoustic blues.
There are many fine moments across the man’s records but I particularly enjoy this self-titled debut. On the electric side you can tell it’s just a really relaxed session with Dutch and the guys from Chain doing what they know best. Nothing is overplayed (there are no searing blues-rock work-outs with screaming guitars) and Tilders’ vocal delivery is laconic yet spot-on. Phil Manning’s guitar work is always a joy to hear and while singer / songwriter Brian Cadd was enjoying his own successful solo career at the time, his boogie-woogie piano accompaniment is totally sympathetic to the cause and a real highlight.
Tilders matches his own composition ‘Chimney-Sweep Blues’ with covers of Arthur ‘Big Boy’ Crudup’s ‘That’s Alright Mama’, Jimmy Reed’s ‘Wee Wee Baby’ and Jimmie Cox’s ‘Nobody Knows You When You’re Down and Out’. Tilders’ affinity with the blues has never been fully examined to my knowledge; however he definitely knew his blues history.
On the acoustic side, the highlights include covers of ‘It Hurts Me Too’, ‘Kansas City Blues’, ‘In the Evening When the Sun Goes Down’ and Big Bill Broonzy’s ‘Southbound Train’ and ‘Keys to the Highway’. Aside from Tilders’ vocals and acoustic guitar (with a side order of slide) the only other musical accompaniment heard is Broderick Smith’s mouth organ on ‘Kansas City Blues’.


Músicos:
Matthew 'Dutch' Tilders (guitarra, vocal)
+
Phil Manning (guitarra)
Brian Cadd (vocal)
Broderick Smith (piano, órgão)
?

Faixas:
01 That's Alright Mama 2:38
02 I'm Gonna Move 3:25
03 Crying Won't Make Me Stay 4:43
04 Chimney Sweep Blues 3:05
05 We We Baby 3:07
06 Down And Out 2:49
07 Whispering 1:08
08 It Hurts Me Too 2:31
09 Southbound Train Blues 2:58
10 Kansas City Blues 2:41
11 The Sun Goes Down 4:26
12 Hard To Love A Woman 2:59
13 Keys To The Highway 3:01
14 Walk Right In 1:03