Se você está interessado em baixar algum álbum postado a partir de 2015, entre em contato por e-mail: prolasdorock@yahoo.com ou deixe seu contato nos comentários (este não será visível publicamente), e o link será enviado o mais breve possível!


Mais informações aqui: http://goo.gl/ra9cdp


-------------


If you are interested in downloading any posted album from 2015, contact by email: prolasdorock@yahoo.com or let your email in comments (this will not be visible publicly) and the link will be sent as soon as possible!


More info here: http://goo.gl/ra9cdp

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

AFRO JAZZ / ROCK - LE SAHEL - Bamba - 1975


Artista / Banda: Le Sahel
Álbum: Bamba
Ano: 1975
Gênero: Afro Jazz / Rock / Mbalax
País: Senegal

Comentário: Formado em Dakar em 1972 por ex-membros do grupos locais, este conjunto levou o nome do clube onde costumava tocar, o Sahel. Apesar da importância local, lançou apenas um álbum em 75 e após décadas fizeram alguns shows de reunião pelo país.
Este é considerado o primeiro disco de Mbalax já feito, estilo que ganharia popularidade nos anos seguintes com a mistura de ritmos tradicionais do oeste africano (sabar), música latina e caribenha, especialmente salsa, além da norte-americana, como jazz, rock, funk e soul. São 6 longas faixas dominadas por passagens ricas e cadenciadas no instrumental, que refletem essa mesclagem de estilos, havendo uso de guitarra, flauta, órgão, forte sessão de metais e de percussão típica. Os vocais também estão presentes e não ficam devendo, principalmente pelos coros que em momentos viram lamentos; sendo as letras todas em letra local, com exceção do cover de 'Caridad', em espanhol.
Altamente recomendado para todo fã de música africana contemporânea.

Formed in Dakar in 1972 by former members of small local groups, this group took the name of the club where they used to play, the Sahel. Despite the local importance, they released only one album in '75 and after decades did some reunion shows across the country.
This is considered the first Mbalax album ever made, a style that would gain popularity in the following years with the mix of traditional rhythms of West African (Sabar), Latin and Caribbean music, especially salsa, as well as North American jazz, rock, funk and soul. There are 6 long tracks dominated by rich and rhythmic passages in the instrumental, which reflect this mix of styles, using guitar, flute, organ, strong typical percussion and brass session. The vocals are also present and are also great, especially by the choruses that in moments are close to laments; being the lyrics all in local language, with the exception of the cover of 'Caridad', in Spanish. Highly recommended for every fan of contemporary African music.


Músicos:
Willy Sakho (baixo) 
Alassane N'Doye (congas) 
Diguy Diabate (bateria)
Thierno Koité (flauta, saxofone)
Seydina Insa Wade  (guitarra)
Cheikh Tidiane Tall (guitarra, órgão) 
Emmanuel Batta (trombone)
Jean N'Diaye (trompete)
Idy Diop (vocal)
René Cabral (vocal)
Pape Djiby Ba (vocal, guiro)

Faixas:
01 Bamba
02 Undiya
03 Caridad
04 Papa Ndiaye Deme
05 Hommage a Mbaye Fall
06 Khandiou


quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

PROGRESSIVE ELECTRONIC - VÍA LACTEA - Same - 1980


Artista / Banda: Vía Lactea
Álbum: Vía Lactea
Ano: 1980
Gênero: Progressive Electronic
 País: México

Comentário: Projeto do multi-instrumentista originário da Cidade do México Carlos Alvarado, fundador de outras bandas como Chac Mool e Decibel, além do seu próprio selo Momia, sendo figura importante na cena local na época. O Vía Lactea em especial realizou um LP (ganhando versão remasterizada e com bônus), além de alguns bootlegs e outras sobras que saíram de forma não-oficial.
Trata-se de um disco totalmente instrumental e mergulhado no progressivo eletrônico, música ambiente e espacial. Dividido em 9 longas faixas, que pelos próprios títulos, constroem uma viagem pelo cosmo e pelos ancestrais pré-colombianos, reflexos disso são a vasta quantidade de instrumentos eletrônicos, como teclados ARP, Kong, Yamaha, sintetizadores, piano, mellotron, combinados com passagens de flauta e percussão tradicionais, resultando em vários nuances e texturas ao longo da obra. Recomendo fechar os olhos e viajar com essa ótima e obscura peça do progressivo latino-americano.

In a sense, it combines the best of worlds, celestial sonic exploration and deeply emotional spiritual listening. A concept album, the track titles convey the musical journey Carlos undertaking - The Structure of the Universe, Garden of the Divine Presence, Into the Light, Man in Eternity, Meditation Post Atomic & The Lark and the Virgin. He employs a vast array of classic electronic instruments - ARP, Korg, Yamaha, synthesizers, Crumar Orchestrator, Mellotron, Piano, Flute & Tapes. The album also features notable guest musicians such as Jorge Reyes and Arturo Meza. The music you encounter upon listening is not easy to describe. Simply listen, close your eyes and imagine yourself in a majestic Holy Shrine. The sound of the earth’s heartbeat is slowly pulsating in different rhythms; solar winds from out of the sky are alternately wafting then gusting through the open spaces. In accompaniment, elemental sounds of nature fill the air, comingling with melodies from the cosmic spheres and the warm tones of exotic analogue electronica. All of these elements ultimately alchemize into an immaculate creation, a galactic symphony of Birth, Life, Death & Eternity. Via Lactea is a masterpiece, fusing the technological magic of early electronic tone colors with the spirits of the ancient ones beautifully. Since 1980, Carlos has continued making music as well as running his own label Momia Records.
Text: Eurock


Músicos:
Carlos Alvarado (teclados, sintetizadores, piano, vocoder, flauta)
+
Jorge Reyes (tambora, flauta, kalimba)
Herminia S. Alvarado (sintetizadores)
Arturo Meza (guitarra)

Faixas:
01 La Estructura del Universo 6:59
02 El Jardin de la Presentia Dibina 8:26
03 Via Lumiere 3:25
04 El Hombre en la Eternidad 4:38
05 Meditaćion Post Atomica 6:30
06 La Alondra y la Virgen 8:19
07 El Retorno de Aymara 7:53
08 Serge Raynaud de la Ferriere 7:46
09 El Cortejo Solar 11:43

domingo, 18 de fevereiro de 2018

PSYCH / GARAGE ROCK - CYMBELINE - Cymbeline 1965-1971 - 2017 (1965-71)


Artista / Banda: Cymbeline
Álbum: Cymbeline 1965-1971
Ano: 2017 (1965-1971)
Gênero: Psychedelic/ Garage Rock
 País: Suécia

Comentário: Grupo formado em meados dos anos 60 na cidade industrial de Norrköping por ex-membros de pequenas bandas, inicialmente como um duo. Primeiramente gravavam covers em estúdios caseiros, depois passaram a compor músicas próprias já com o tecladista Ulf Ryberg, lançando um único compacto em 1971 e gravando material para um LP no mesmo ano, mas que só viu a 'luz do dia' em 2017, graças a Guerssen Records.
Esta compilação reúne músicas de várias fases, 15 no total, porém todas curtas. As influências são diversificadas, passando desde beat e pop rock comercial, 'garageiro' sujo até rock psicodélico com leves doses experimentais ou de proto-prog. As letras são em sueco e inglês, enquanto o instrumental é simples, liderado pela guitarra distorcida e teclados estilo '60s, além de efeitos rudimentares.

Previously unreleased homemade psychedelia, teenbeat and fuzz-psych/prog by this amazing Swedish band, 1965-1971!! Tracks like “Third Image” or “Look at the stars” are an incredible find for anyone into US garage-psych (they wouldn’t sound out of place on any Pebbles or Psychedelic Unknowns volume!) and others like “Flicka”, “Stolta Vingar” or “Mittuppslag” are top notch ‘70s fuzzed out Scandinavian psych/prog. Formed in the industrial town of Norrköping in the mid ‘60s, Cymbeline (also known as Motala Ström and W&J) only released a 45 in 1971 before breaking up.  As the years passed by, the home studio improved and new songs were recorded in a more psych-prog vein, some of them included here. In 1970, Ulf Ryberg joined the group and soon after a 45 was released containing his song “New York”. The flip side was “Sixth Image”, originally one of the “Images” but rearranged and re-recorded. In 1971, demos for an LP where recorded at Europafilm Studios in Stockholm. Two fantastic songs are included here and the sound is different from the earlier recordings – closer to the groups live performances.
Text: Guerssen

Músicos:
Ulf Ryberg (vocal, teclados)
Michael Journath (guitarra)
Anders Weyde (baixo, bateria)

Faixas:
01 Third Image 02:13
02 Mittuppslag 03:21
03 Motala Ström 04:04
04 Flicka 02:17
05 Stolta Vingar 03:33
06 Strax Nedanför Tornen 04:11
07 Sixth Image 03:09
08 Fifth Image 02:46
09 Look At The Stars 02:02
10 Imagination 03:22
11 Ur Asfalt Ropar Rösterna 03:31
12 New York 02:14
13 Mary Anne 02:15
14 Vinden Viskar Mary 03:11
15 Stolta Vingar II 03:25

sábado, 17 de fevereiro de 2018

AVANT / ACID FOLK - ECLOSION - Same - 2015 (1972)


Artista / Banda: Eclosion
Álbum: Eclosion

Ano: 2015 (1972)
Gênero: Acid Folk / Experimental / Avant Garde
 País: França


Comentário: Projeto formado por ex-membros do grupo Ame Son e que resultou na gravação de um álbum, que só veio a ser lançado mais de 40 anos depois, pela Monsters Melodies, com 1000 cópias. Trata-se de uma mistura ousada e incomum entre acid folk, experimentalismo, alguns efeitos eletrônicos e até toques de música indiana / oriental. O instrumental domina com passagens improvisadas de percussão, flauta, guitarra distorcida, gaita e outros, as letras são espaçadas e todas em francês, possuindo caráter poético e irônico.
Interessante para quem curte obscuridades e sons experimentais, ouçam e tirem suas conclusões.

Eclosion is a musical project by Leon Cobra (founder of magazine Le Treponeme Bleu Pale), the guitar player Bernard Stisi (ex Primitiv’s) and Marc Blanc (drummer and guitar player from Ame Son). A psychedelic experimental sound recorded in analog in 1973 on a Revox tape recorder (the same which was used by Rednoise to record the sound effects of the Sarcelles-Locheres album in 1970) and with the help of an echo chamber for an innovative result. The trio were lead to different destinies and the project ended up stuck on a shelf, along with the drawings made for the cover by Henri Aspic. Edited for the first time, the record numbered at 1000 copies only is a blue vinyl.
Text: Monster Melodies

Músicos:
Marc Blanc (vocal, guitarra, flauta)
Léon Cobra (vocal, percussão, bateria)
Bernard Stisi (vocal, violão 12 cordas, tamborim, harmônica)

Faixas:
01 Eclosion
02 Iondation
03 L'amante Religieuse
04 Varanacide
05 Phonemes
06 Devi Touch
07 Eclosion 2
08 Creve Salope
09 Snake Dance
10 Sombre Dans L'infini

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

LATIN JAZZ - RUBÉN RADA - Rubén Rada Y Conjunto S.O.S. - 1975


Artista / Banda: Rubén Rada
Álbum: Rubén Rada Y Conjunto S.O.S.
Ano: 1975
Gênero: Jazz Rock / Latin / Candombe
País: Uruguai

Comentário: Rubén Rada é um renomado músico, cantor e compositor uruguaio, nascido na capital Montevidéu, membro de grupos como El Kinto, Tótem e OPA. Nesta obra ele é acompanhado por músicos argentinos (grupo Sonido Original del Sur), gravado na Argentina, porém lançado em seu país de origem.
Trate-se de uma obra que mistura jazz e ritmos latinos, especialmente candombe, estilo de matriz africana popular no país. São 10 canções com instrumental rico e forte, passando por metais, percussão, flauta, órgão e guitarra, muitas vezes se misturando com os coros. As letras são todas em espanhol. Uma bela e consistente obra do jazz latino-americano, recomendado!

Rubén Rada is a renowned Uruguayan musician, singer and songwriter, born in the capital Montevideo, a member of groups such as El Kinto, Totem and OPA. In this work he is accompanied by Argentine musicians (group Sonido Original del Sur), recorded in Argentina, but released in his native country.
It is a work that mixes jazz and Latin rhythms, especially candombe, African-root style popular in the country. There are 10 songs with rich and strong instrumental, going through metals, percussion, flute, organ and guitar, often mingling with the choirs. The lyrics are all in Spanish. A beautiful and consistent work of Latin American jazz, recommended!




Músicos: 
Rubén Rada (vocal, percussão)
Luis Cerávolo (bateria)
Héctor Ceravolo (piano, órgão)
Bo Gathu (baixo)
Conny Soderlund (guitarra)
Gustavo Bergalli (trompete)

Faixas:
01 Amigo Mío No Sufras Tanto 2:36
02 Llevale Este Pollo Al Maistro 3:03
03 Demasiado Tiempo 2:32
04 Pajaro Africano 4:37
05 Tiempo, Confio En Vos 1:56
06 Sin Salida 3:23
07 Completamente A Lucy 2:05
08 La Chaca (Héctor Bingert) 4:11
09 Habia Una Vez Un Sueño De Negro 3:41
10 America Unida Seras 4:04

sábado, 3 de fevereiro de 2018

BLOG PÉROLAS DO ROCK'N'ROLL - 5 ANOS


Em 3 de fevereiro de 2013 começava uma jornada pelo mundo blogger de um brasileiro apaixonado por rock obscuro dos anos 60 e 70, mas acima de tudo por música. Missão que completa seus 5 anos hoje, tendo como objetivo não apenas a divulgação de centenas de discos esquecidos por gravadoras, público em geral e perdidos no tempo, mas mostrar que o rock clássico, independente de seus vários gêneros e estilos, foi e está presente em todos os cantos do planeta, por isso este blog hoje orgulhosamente pode dizer ser, talvez, o único de toda a blogosfera mundial a possuir bandas e artistas originários de mais de 100 países, reunidos em mais de 900 postagens / discos. 
Agradeço a todos os seguidores e leitores deste espaço, que possibilitaram uma marca incrível de mais de 1 milhão de visualizações até o momento, milhares de comentários e emails, o combustível para todo este trabalho continuar sendo feito (já que o blog não tem fins lucrativos), além dos outros blogs e rádios parceiros de longa data. Outro agradecimento especial vai para o amigo Philip Baldissara pelo desenvolvimento deste novo logo do blog. E que outros anos possam entrar e o objetivo de divulgar boa música continue inabalável!

------ 

 Exactly 5 years ago the blog 'Pérolas do Rock'n'Roll' was created with the purpouse of spreading obscure rock of the 60s and 70s, with hundreds of records forgotten by companies, general public and lost in time, and also to show that classic rock, regardless of its various genres and styles, was and it is present in all parts of the planet, so today I can proudly claim to be the only one in the entire 'blogosphere' to have bands and artists from more than 100 countries, gathered in more than 900 posts / albums.
Thanks to all the followers and readers of this website, which enabled an incredible mark of more than 1 million views so far, thousands of comments and emails, fuel for all this work continue being done (since the blog is non-profit), in addition to other friends-blogs and radios.

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

SYNTH POP / EXPERIMENTAL - SOTHY - Lam Seung!!!.. Chansons Laotiennes - 2017 (1981)


Artista / Banda: Sothy
Álbum: Lam Seung!!!.. Chansons Laotiennes
Ano: 2017 (1981)
Gênero: Synth Pop / World Music / Experimental
País: Laos

Comentário: Pérola formada no Laos (!), país do sudeste asiático com poucos registros de música contemporânea. Gravaram apenas um compacto independente em 1981 na França, relançado ano passado com outras versões mixadas por Shelter (Alan Briand). A história do grupo / artista se mantém um total mistério até hoje.
Musicalmente as duas canções originais podem ser classificadas como synth pop, mas com um toque experimental, cósmico e de lao music (típica do país de origem), havendo boa presença de guitarra e sintetizadores. As letras são todas em língua local, tornando este registro ainda mais único. Apesar de não ser o estilo geralmente postado aqui, achei o material muito interessante, principalmente se tratando do país de origem. Vale a audição.

Rare cosmic Lao synth pop recorded in Paris 1980. Slow-paced drums with off beats softly phased with guitar and misty synthesizers. The lam soeng was one of the most renowned stylistic variations of a popular Lao musical genre. Sothy creates an unusual arrangement with the instrumental introduction separate from the canon, the synthetic mix is stripped down of the traditional organology. "Tawai" (offering) is just as enigmatic: a beat box, a lightly reverberated voice as well as a guitar solo and a small synthesizer break. Parisian producer Shelter, aka Alan Briand, provides mixes for both songs.
Text: Forced Exposure

Músicos:
?

Faixas:
01 ลำเซิ้งบั้งไฟ = Lam Seung Bang Fai (Original Version) 4:51
02 ถวย = Tawai (Original Version) 5:15
03 ลำเซิ้งบั้งไฟ = Lam Seung Bang Fai (Shelter's Edit) 6:18
04 ถวย = Tawai (Shelter's Edit) 4:02

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

FUNK / CLASSIC ROCK - JÚDAS - No. 1 - 1975


Artista / Banda: Júdas
Álbum: Júdas No.1
Ano: 1975
Gênero: Funk / Classic Rock
País: Islândia

Comentário: Pérola formada no início da década de 70 para acompanhar o músico Magnús Kjartansson em seu debut e que acabou lançando dois álbuns sob nome da banda. Pouco mais é conhecido sobre eles e seus LPs são grandes raridades do rock islandês.
Divididas em 10 curtas faixas, este disco pouco difere do anterior lançado sob o nome de Maggi (e já postado no blog), misturando rock clássico, funk, folk e baladas, com clara tentativa comercial, evidenciado pelas letras em inglês. O destaque fica para passagens de guitarra, sintetizadores, saxofone e percussão, fechando com uma faixa instrumental. Daqueles álbuns que valem mais pela raridade do que qualidade, mas ainda interessante para curiosos.

Formed in the early 70's to accompany the musician Magnús Kjartansson in his debut, this band released two albums under their own name. Little else is known about them and their LPs are great rarities of Icelandic rock, never reissued.
Divided into 10 short tracks, this album differs slightly from the previous one released under the name of Maggi (and already posted on the blog), mixing classic rock, funk, folk and ballads, with a clear commercial attempt, evidenced by the English lyrics. The highlight are for passages of guitar, synthesizers, saxophone and percussion, and there is even an instrumental track.

Músicos:
Vignir Bergmann (violão, guitarra, vocal)
Hrólfur Gunnarsson (bateria, percussão)
Finnbogi Kjartansson (guitarra, baixo, percussão, vocal)
Magnús Kjartansson (piano, clarinete, sintetizadores, vocal)

Faixas:
01 New York Overture
02 What's On Your Mind
03 First Class Rock And Roll Song
04 It's Raining Again
05 Poseidon
06 Breakdown
07 Depression
08 I Am On My Way Written
09 U. S. Naval Base
10 Bye - Bye

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

PSYCHEDELIC / LATIN ROCK - GRUPO GEYSER - Piensa Bien / Oyeme Guajira - 1971


Artista / Banda: Grupo Geyser
Álbum: Piensa Bien / Oyeme Guajira (Single)
Ano: 1971
Gênero: Psychedelic / Latin Rock
País: Venezuela

Comentário: Grupo formado em Maracay no final da década de 60 pelos irmãos Navarro. Apesar de lançar alguns singles de certo sucesso local no início dos anos 70, a banda logo se acabou sem nunca produzir um LP. Neste compacto ouvimos duas canções curtas, porém surpreendentes para o país, mesclando fortes influências psicodélicas, com guitarra fuzz barulhenta, órgão elétrico e vocal cavernoso, beirando o heavy psych, e rock latino, na boa combinação de percussão e metais, lembrando claramente os conterrâneos do Tsee Muds. As letras são todas em espanhol.

Group formed in Maracay in the late 60's by the Navarro brothers. Despite releasing some singles in the early '70s, the band soon disbanded without producing an LP. In this single we hear two short but surprising songs for the country, mixing strong psychedelic influences, with noisy fuzz guitar, electric organ and powerful vocals, almost heavy psych at some point, and Latin rock, in the good combination of percussion and brass, clearly reminding the great Tsee Muds. The lyrics are all in Spanish.

Músicos:
Publio Navarro (vocal, baixo)
Ernesto "Tito" Dann (guitarra)
Francisco Diago (guitarra, piano, órgão)
Evenecer "Pochito" Navarro (bateria)
Rubén Monasterios (percussão)

Faixas:
01 Piensa Bien 3:40
02 Oyeme Guajira 3:34

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

LATIN PSYCH - ZULU - Same - 1974


Artista / Banda: Zulu
Álbum: Zulu

Ano: 1974
Gênero: Psychedelic Latin / Pop
 País: Peru

Comentário: Músico nascido em Lima no ano de 1951, que participou de alguns grupos locais, como Traffic Sound e Los Nuevos Shain's, até ser convidado pelo selo IEMPSA para gravar singles e seu único LP solo. Pouco depois abandonou a carreira musical para seguir vida religiosa.
O homônimo é composto por 10 curtas faixas que não são muito diferentes de sons feitos no país no fim dos anos 60, mesclando psicodelia, ritmos latinos (especialmente cumbia), em geral dominado por arranjos e letras melódicas, todas em espanhol, mas não tão genéricas. No instrumental, destaque para passagens no teclado, guitarra fuzz, percussão e até flauta. Recomendado para fãs de rock psicodélico latino-americano.

Musician born in Lima in 1951, who participated in some local groups, such as Traffic Sound and Los Nuevos Shain's, until being invited by the label IEMPSA to record singles and his only solo LP. Soon after, he abandoned his musical career to pursue a religious life.
The debut is composed of 10 short tracks that are not very different from sounds made in the country in the late 60's, mixing psychedelia, latin rhythms (especially cumbia), usually dominated by melodic arrangements and lyrics, all in Spanish but not so generics. In the instrumental, highlight for passages in the keyboard, fuzz guitar, percussion and even flute.


Músicos:
?

Faixas:
01 Candela 3:54
02 Sueño De Amor 2:47
03 Como Una Escalera 3:30
04 Cariño Grande 3:41
05 Si En El Cielo Yo Viviera 3:58
06 Sana Camaleon 3:57
07 Laberintos 3:18
08 Tus Palabras 4:09
09 San Isidro De Mi 3:31
10 Como Lirios En El Campo 4:15